Como definir o valor do pró-labore e manter o controle financeiro do meu negócio?

Aprender como definir o valor do pró-labore, ou seja, a remuneração dos sócios, é muito importante para a manutenção dos negócios. Veja como fazer isso.

[Como definir o valor do pró-labore e manter o controle financeiro do meu negócio?]
Como definir o valor do pró-labore e manter o controle financeiro do meu negócio?

Ao iniciar um negócio próprio, é normal que o empreendedor tenha dúvidas quanto às diversas questões burocráticas que envolvem a abertura de uma empresa e à atração e administração dos seus clientes. Aprender como definir o valor do pró-labore, a remuneração dos sócios, também é muito importante para a manutenção dos negócios. Mas nem sempre o assunto é tratado com a devida importância pelos novos empresários.

Principalmente no começo, é comum que os empreendedores não se sintam na obrigação de receber um salário. Isso acontece pois ele entendem que o momento é de investir no negócio. Mas esse é um erro que poderá comprometer a manutenção das suas contas. A definição do pró-labore faz parte de uma boa gestão financeira.

Levando em consideração a importância do assunto, neste post você vai ter dicas sobre como definir o salário dos sócios e manter o controle financeiro do seu empreendimento. Acompanhe:

A importância de saber como definir o valor do pró-labore

Alguns empreendedores sequer conhecem a definição do pró-labore, que é um termo em latim que significa algo como “pelo trabalho”.

Com isso, sempre que necessitam de recursos para a resolução de problemas pessoais, acabam recorrendo ao caixa da empresa sem nenhum planejamento prévio — o que pode ser fatal para o negócio se o hábito permanecer por muito tempo.

Como sócio, você tem um papel na empresa e deve ser remunerado por isso, afinal, há um custo pelo trabalho desempenhado. Sem saber o quanto vale a sua hora de trabalho, será impossível definir os custos dos seus serviços e cobrar corretamente por isso.

Além do mais, o recebimento de um salário fixo não significa que você não terá participação nos lucros da empresa, pois são 2 tipos de remunerações totalmente diferentes.

Obviamente, se a empresa contar com mais de um sócio e algum deles não cumprir nenhuma função, ele não deve receber o pró-labore, mas apenas a parte que lhe cabe referente aos lucros do negócio.

Por isso, é fundamental entender a diferença entre os termos para não atrapalhar o planejamento da gestão financeira. Outra orientação crucial é a de nunca misturar contas pessoais com as da empresa.

A determinação do salário dos sócios

Definir o valor do pró-labore não é tão difícil quanto parece. Basta seguir algumas regras básicas para você chegar a um valor justo e de acordo com o que é pago pela média do mercado.

Comece fazendo uma checklist com todas as funções desempenhadas pelo sócio da empresa. Mesmo que sejam muitas obrigações, é preciso listar todas elas para se chegar a um cargo específico e partir para o 2º passo.

Com a função determinada, será preciso fazer uma pesquisa de mercado para se descobrir a média salarial paga por esse cargo específico. Vale a pena consultar empresas especializadas em recrutamento profissional e jornais e sites que também disponibilizam vagas de emprego.

Não se esqueça, também, de incluir todos os gastos referentes aos impostos pagos com a contratação de um profissional, tais como INSS. Além de todas essas dicas, vale também o bom senso do empreendedor, já que o pró-labore deve ser justo e de acordo com a realidade do negócio.

E então, o que achou do conteúdo? Ficou com alguma dúvida?

Entre contato atráves da página Contato ou pelas Redes Sociais: Facebook, Instagram, Linkedin e Whatsapp.

Você gostou da matéria? Deixe sua avaliação e também compartilhe nas Redes Sociais.

Não deixe de acessar nosso Blog, sempre trazemos novidades pra você!

Gostou do post? Comenta aí!


[Envie seu Orçamento pelo WhatsApp]
Envie seu Orçamento pelo WhatsApp